Mozambique
MapoList


Fornecimento normal de água a Maputo, Matola e Boane será retomado na 4ª feira

O fornecimento normal de água às cidades de Maputo, Matola e à vila municipal de Boane será retomado, a partir de quarta-feira, 19 de Fevereiro, segundo garantiu a vice-ministra das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos. Cecília Chamutota
@Verdade - Últimas

Fornecimento normal de água a Maputo, Matola e Boane será retomado na 4ª feira

O fornecimento normal de água às cidades de Maputo, Matola e à vila municipal de Boane será retomado, a partir de quarta-feira, 19 de Fevereiro, segundo garantiu a vice-ministra das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos. Cecília Chamutota, que falava durante a conferência de imprensa, realizada, na segunda-feira, dia 17 de Fevereiro, em Maputo, referiu que os trabalhos de reposição das infra-estruturas danificadas estão a decorrer de acordo com o cronograma pré estabelecido, prevendo-se na segunda-feira, a conclusão da instalação da tubagem adutora para ligação com a tubagem existe. "Acreditamos que na terça-feira vão iniciar os ensaios das infra-estruturas reparadas, mas estamos cientes de que nalgumas zonas mais afastadas da rede, por causa da pressão baixa, a água poderá não chegar, situação que será resolvida através de tanques móveis para o abastecimento à população”, indicou. A governante alertou ainda para a possibilidade do registo de alguns focos de água turva, em consequência dos referidos ensaios. Com efeito, equipas técnicas da empresa Águas da Região de Maputo (AdeM) estarão posicionadas nos centros distribuidores para efectuarem o controlo da qualidade da água. Importa referir que o colapso de parte da ponte, ocorrido a 8 de Fevereiro, na província de Maputo, provocou a ruptura de duas condutas de água, consequentemente reduzindo o abastecimento de água.

Inundações reduzem no Centro de Moçambique; 3ª feira chuvosa no Norte e chuvisco no Centro e Sul

A Direcção Nacional de Gestão de Recursos Hídricos indica que as inundações estão a reduzir na Região Centro de Moçambique. A bacia do Licungo em Guruè regista 0,47 metros acima do nível de alerta, sem impactos significativos. A bacia do Búzi em D
@Verdade - Últimas

Inundações reduzem no Centro de Moçambique; 3ª feira chuvosa no Norte e chuvisco no Centro e Sul

A Direcção Nacional de Gestão de Recursos Hídricos indica que as inundações estão a reduzir na Região Centro de Moçambique. A bacia do Licungo em Guruè regista 0,47 metros acima do nível de alerta, sem impactos significativos. A bacia do Búzi em Dombe regista 0,10 metros acima do nível de alerta, com tendência a baixar. Prevalece o cenário de inundações na vila do Búzi e a circulação por batelão entre as localidades de Bandua e Guara-Guara. A bacia do Púngoè em Púngoè Sul e Nhazónia regista 0,16m e 3,46 metros acima do nível de alerta, respectivamente com tendência a baixar. A circulação rodoviária entre Lomaco e Textil, no distrito de Nhamatanda, encontra-se condicionada . A bacia do Zambeze em Zumbo encontra-se a 0,76 metros acima do nível de alerta, com tendência a baixar, sem impactos significativos. O Instituto Nacional de Meteorologia (INAM) prevê para as províncias de Niassa, Cabo Delgado e Nampula céu geralmente muito nublado. Aguaceiros com trovoadas ou chuvas fracas a moderadas, localmente fortes. Vento de noroeste a nordeste fraco a moderado, soprando por vezes com rajadas. Nas províncias de Tete, Zambézia, Manica e Sofala o INAM prevê céu pouco nublado localmente muito nublado. Aguaceiros com trovoadas ou chuvas fracas, sendo moderadas nas províncias de Tete e Zambézia. Vento de sueste a nordeste fraco a moderado, soprando por vezes com rajadas. Para as províncias de Inhambane, Gaza e Maputo o INAM prevê céu pouco nublado com períodos de muito nublado. Possibilidade de chuviscos ou chuvas fracas locais. Vento de sueste a sudoeste fraco a moderado. Eis as temperaturas previstas: Cidade Tempo Máx ºC Mín ºC Maputo 32 24 Xai-Xai 31 25 Inhambane 32 26 Vilankulo 33 25 Beira 33 25 Chimoio 29 20 Tete 34 25 Quelimane 34 26 Nampula 33 24 Pemba 33 24 Lichinga 28 16    

Banco de Moçambique alarga vigilância especial sobre gestores bancários

Para além dos órgãos de Administração das instituições de crédito e sociedades financeiras o Banco de Moçambique (BM) alargou a sua vigilância especial aos titulares de cargos de Auditoria Interna e Controlo de risco. A primeira acção pública
@Verdade - Últimas

Banco de Moçambique alarga vigilância especial sobre gestores bancários

Para além dos órgãos de Administração das instituições de crédito e sociedades financeiras o Banco de Moçambique (BM) alargou a sua vigilância especial aos titulares de cargos de Auditoria Interna e Controlo de risco. A primeira acção pública do BM em 2020 é o reforço da sua supervisão, alargando o registo especial de titulares de cargos relevantes nos bancos comerciais e instituições de crédito para além dos membros da Administração aos gestores responsáveis pela Auditoria Interna e Controlo e gestão de riscos. Através do Aviso nº 1/GBM/2020 o banco central particulariza que as funções de controlo e gestão de riscos devem compreender: risco de crédito, risco de liquidez, risco de taxa de juro, risco de câmbio, risco operacional, risco estratégico, risco de reputação, risco de compliance e ainda o risco de tecnologias de informação. Os bancos têm 90 dias para cumprir a nova norma do BM que permite ainda, a qualquer altura, “a uma nova avaliação da adequação dos titulares de cargos relevantes de gestão relevantes das instituições de crédito e sociedades financeiras com base em circunstâncias já verificadas na altura da sua designação ou com fundamento em quaisquer circunstâncias supervenientes”.

Standard Bank leva namorados ao cinema

O Standard Bank proporcionou, no dia 14 de Fevereiro, uma sessão de cinema a mais de 30 casais, constituídos por clientes e colaboradores, numa das salas da cidade Maputo, por ocasião da celebração do Dia dos Namorados. A iniciativa, que visa aproxim
@Verdade - Últimas

Standard Bank leva namorados ao cinema

O Standard Bank proporcionou, no dia 14 de Fevereiro, uma sessão de cinema a mais de 30 casais, constituídos por clientes e colaboradores, numa das salas da cidade Maputo, por ocasião da celebração do Dia dos Namorados. A iniciativa, que visa aproximar cada vez mais o banco dos seus clientes, incluiu, também, uma sessão de fotografia aos casais. Com este gesto, de acordo com a representante do banco, Xissangue Massamba, o Standard Bank pretende demonstrar que «não olha somente para as necessidades financeiras dos seus clientes, mas sim para todos os aspectos da sua vida, incluindo o lado afectivo». “Decidimos proporcionar este momento aos nossos clientes, porque olhamos para eles como parceiros. Estamos muito satisfeitos porque permitiram que o Standard Bank pudesse fazer parte da sua vida numa data especial como hoje (Dia dos Namorados) para partilhar o amor, a reconciliação, a cumplicidade, a harmonia. Eles podem contar connosco para tudo”, explicou a representante do banco. Os clientes, por seu turno, elogiaram a iniciativa que, na sua opinião, estimula-os a estar cada vez mais próximos do banco, tornando a sua relação cada vez mais interessante e de ganhos mútuos. É o caso de Prencidónio Matavele, cliente há cerca de três anos. Recebeu uma chamada do banco a convidá-lo a si e a sua parceira para assistirem um filme. Considerou a iniciativa louvável e digna de ser replicada noutras ocasiões. “É um estímulo aos clientes e esperamos que o Standard Bank continue a promover estas acções, por mais vezes”, disse Prencidónio Matavele, que apelou aos outros clientes a aderirem a estas iniciativas sempre que receberem um convite do banco. Quem também foi convidada à sessão foi Cecília Armando, que realçou a importância deste gesto na relação entre o banco e os seus clientes: “Nós vamos ao balcão só para tratar das nossas contas, mas o Standard Bank mostrou-nos que também se preocupa com a parte social dos seus clientes. Superaram as minhas expectativas. Foi uma escolha perfeita”, disse.

Secretária de Estado na província de Maputo demanda crachá durante expediente

A secretária de Estado na província de Maputo, Vitória Dias Diogo, apelou recentemente aos colaboradores da Direcção Provincial de Recursos Humanos e Energia, incluindo aos da empresa Electricidade de Moçambique (EDM), no sentido de ostentarem o cartã
@Verdade - Últimas

Secretária de Estado na província de Maputo demanda crachá durante expediente

A secretária de Estado na província de Maputo, Vitória Dias Diogo, apelou recentemente aos colaboradores da Direcção Provincial de Recursos Humanos e Energia, incluindo aos da empresa Electricidade de Moçambique (EDM), no sentido de ostentarem o cartão de identificação (crachá), durante as horas de expediente. Numa visita efectuada àquelas instituições, Vitória Diogo exortou para a observância rigorosa de aspectos inerentes à satisfação das necessidades dos clientes no fornecimento de serviços, sem prejuízo de custos adicionais. No périplo, enquadrado na sua agenda de trabalho semanal, a secretária de Estado na província de Maputo escalou o Centro de Recrutamento Militar e Mobilização, onde dialogou com alguns jovens, apelando para que se distanciem de actos de desinformação sobre o recrutamento militar compulsivo. Esteve, igualmente, nas instituições do sector de justiça da província de Maputo, onde se reuniu com representantes de todas as áreas que o compõem. No IPAJ-Instituto para a Promoção de Patrocínio e Assistência Jurídica, Vitória Diogo desafiou a instituição a intensificar a realização de feiras sobre assistência jurídica nas comunidades. Ainda ao longo da semana finda, Vitória Diogo juntou-se à comitiva que trabalhou com o príncipe herdeiro da Noruega, Haakon Magno, em Matlemele, cidade da Matola, durante o qual foi anunciada a realização, até finais do corrente ano, no quadro do programa designado Energia para Todos (ProEnergia), de cerca de 38 mil novas ligações de corrente eléctrica. As acções da secretária de Estado na província de Maputo incidiram ainda sobre os Centros de Trânsito, abertos nos bairros 700 e Kobe, no âmbito das inundações, onde exortou as populações a aderirem aos centros de acomodação. Nestes locais, dentre vários apelos, Vitória Diogo referiu-se, também, sobre a necessidade de pulverizar os centros, incluindo a distribuição de redes mosquiteiras.

Ministra do Trabalho e Segurança Social reuniu-se com gestores INS

Com o objectivo de se inteirar do funcionamento da instituição e transmitir a sua visão estratégica para o desenvolvimento do Sistema de Segurança Social, nos próximos cinco anos, no País, a Ministra do Trabalho e Segurança Social visitou, sexta-feira
@Verdade - Últimas

Ministra do Trabalho e Segurança Social reuniu-se com gestores INS

Com o objectivo de se inteirar do funcionamento da instituição e transmitir a sua visão estratégica para o desenvolvimento do Sistema de Segurança Social, nos próximos cinco anos, no País, a Ministra do Trabalho e Segurança Social visitou, sexta-feira, 14 de Fevereiro, em Maputo, o INSS-Instituto Nacional de Segurança Social. No decurso da visita, enquadrada no âmbito do périplo que tem estado a realizar pelas instituições tuteladas pelo ministério que dirige, a fim de se inteirar do seu funcionamento, Margarida Talapa reuniu-se com os gestores do INSS, tendo recebido uma explicação detalhada sobre a actividade da instituição e o seu estágio de desenvolvimento. O porta-voz do encontro, Joaquim Siúta, referiu, a propósito, que a visita da ministra tinha por objectivo conhecer a instituição, gestores, seus objectivos, o papel da segurança social no trabalho, bem como o papel que desempenha cada unidade orgânica. A governante, conforme realçou Joaquim Siúta, transmitiu aos gestores as orientações para o crescente desenvolvimento da instituição, assim como a sua visão estratégica, ética e honestidade na gestão da instituição. “Foi apresentado à ministra um informe que vai desde a criação do instituto, as transformações estruturais introduzidas, os objectivos que estão por detrás do desenvolvimento da instituição, particularmente a informatização do sistema até ao actual estágio”, indicou o porta-voz. Importa realçar que, ainda no decurso do encontro, foi apresentada a avaliação actuarial do INSS, realizada por peritos internacionais e que confere robustez financeira ao INSS. Trata-se de uma matéria que tinha sido, anteriormente, objecto de debate pelo Conselho de Administração do instituto, devendo ser, igualmente, apresentada no próximo Conselho Consultivo.

AdeM cria opções de distribuição de água às populações de Maputo, Matola e Boane

Para minimizar o impacto das restrições no fornecimento de águas às cidades de Maputo, Matola e à vila municipal de Boane, decorrentes da recente ruptura de duas condutas adutoras, que transportam o precioso líquido da Estação de Tratamento de Água d
@Verdade - Últimas

AdeM cria opções de distribuição de água às populações de Maputo, Matola e Boane

Para minimizar o impacto das restrições no fornecimento de águas às cidades de Maputo, Matola e à vila municipal de Boane, decorrentes da recente ruptura de duas condutas adutoras, que transportam o precioso líquido da Estação de Tratamento de Água de Umbelúzi (ETA), a empresa Águas da Região de Maputo (AdeM) instalou 52 depósitos e os respectivos fontanários móveis, bem como operacionalizou camiões cisternas, que garantem a distribuição de água às populações. Numa acção coordenada com o FIPAG-Fundo de Investimento e Património do Abastecimento de Água, a AdeM tem estado a desenvolver acções visando a reposição das condutas danificadas para a rápida normalização do abastecimento de água potável às zonas afectadas. Para já, a distribuição de água, através de depósitos e os respectivos fontanários móveis, bem como a operacionalização de camiões cisternas, tem sido efectuada gratuitamente todos os dias. Segundo o porta-voz do FIPAG, Ilídio Khossa, as acções levadas a cabo pelo têm por objectivo a reposição o mais rápido possível do sistema de fornecimento de água às cidades de Maputo, Matola e a vila de Boane. “Estamos a trabalhar afincadamente para concluirmos as obras de reparação das condutas e a respectiva estrutura de suporte dentro do cronograma estabelecido”, explicou o porta-voz, acrescentando que o nível de execução das obras é satisfatório, na medida em que já foram instaladas as principais estruturas metálicas. Numa outra abordagem, Ilídio Khossa referiu que, com a colocação da válvula e a realização do bay-pass às condutas, já é possível induzir mais água para a cidade de Maputo, o que permitiu sair de um nível médio de cerca de 2 mil metros cúbicos, por hora, para 5 mil metros cúbicos, isto é, um incremento de produção e transporte da água de 50 por cento da capacidade instalada. Importa referir que os trabalhos de reposição das condutas de água e das infraestruturas têm um prazo de 10 dias, a contar a partir do dia 8 de Fevereiro e a conclusão prevista para a próxima terça-feira, dia 19 de Fevereiro. As obras estão a ser executadas por duas empresas chinesas, nomeadamente a China GEO e a CRBC.

2ª feira de calor no Sul e Centro de Moçambique, alguma chuva no Norte

O Instituto Nacional de Meteorologia prevê o seguinte estado do tempo para esta segunda-feira (17) em Moçambique: nas províncias de Niassa, Cabo Delgado e Nampula céu geralmente muito nublado. Aguaceiros com trovoadas ou chuvas fracas a moderadas local
@Verdade - Últimas

2ª feira de calor no Sul e Centro de Moçambique, alguma chuva no Norte

O Instituto Nacional de Meteorologia prevê o seguinte estado do tempo para esta segunda-feira (17) em Moçambique: nas províncias de Niassa, Cabo Delgado e Nampula céu geralmente muito nublado. Aguaceiros com trovoadas ou chuvas fracas a moderadas localmente fortes. Vento de sueste a noroeste fraco a moderado, soprando por vezes com rajadas. Para as províncias de Tete, Zambézia, Manica e Sofala céu muito nublado. Aguaceiros com trovoadas ou chuvas fracas localmente moderadas. Vento de nordeste a sueste fraco a moderado, soprando por vezes com rajadas. Nas províncias de Inhambane, Gaza e Maputo céu pouco nublado. Vento de sueste a nordeste fraco a moderado. Eis as temperaturas previstas: Cidade Tempo Máx ºC Mín ºC Maputo 34 24 Xai-Xai 34 25 Inhambane 33 26 Vilankulo 33 24 Beira 33 26 Chimoio 30 22 Tete 35 26 Quelimane 33 26 Nampula 32 23 Pemba 33 22 Lichinga 25 18  

Chuva dá tréguas mas continuam inundadas várias regiões de Sofala e Manica

A chuva deu alguma trégua no Centro de Moçambique e as bacias hidrográficas do Búzi, Púngoè e Zambeze estão com tendência a baixar de caudal no entanto continua condicionada a transitabilidade entre Dombe - Espungabera, Dombe - Sussundenga e Dombe - G
@Verdade - Últimas

Chuva dá tréguas mas continuam inundadas várias regiões de Sofala e Manica

A chuva deu alguma trégua no Centro de Moçambique e as bacias hidrográficas do Búzi, Púngoè e Zambeze estão com tendência a baixar de caudal no entanto continua condicionada a transitabilidade entre Dombe - Espungabera, Dombe - Sussundenga e Dombe - Goonda e prevalece o cenário de inundações nas localidades de Lamego, Chirassicua, Muda Mufo, Metuchira e Pita. Para este sábado (15) o Instituto Nacional de Meteorologia prevê o seguinte estado do tempo em Moçambique: nas províncias de Niassa, Cabo Delgado e Nampula céu geralmente muito nublado. Continuação de ocorrência de aguaceiros com trovoadas e chuvas fracas a moderadas locais. Vento de noroeste a sueste fraco a moderado. Para as províncias de Tete, Zambézia, Manica e Sofala céu geralmente muito nublado. Aguaceiros com trovoadas e chuvas fracas a moderadas. Vento de sueste a leste fraco a moderado, soprando com rajadas. Nas províncias de Inhambane, Gaza e Maputo céu pouco nublado. Vento de nordeste e leste fraco a moderado. Eis as temperaturas previstas: Cidade Tempo Máx ºC Mín ºC Maputo 34 23 Xai-Xai 31 24 Inhambane 32 25 Vilankulo 32 23 Beira 32 24 Chimoio 27 20 Tete 30 24 Quelimane 33 25 Nampula 33 23 Pemba 32 24 Lichinga 26 17  

Chuva dá tréguas mas continuam inundações em várias regiões de Sofala e Manica

A chuva deu alguma trégua no Centro de Moçambique e as bacias hidrográficas do Búzi, Púngoè e Zambeze estão com tendência a baixar de caudal no entanto continua condicionada a transitabilidade entre Dombe - Espungabera, Dombe - Sussundenga e Dombe - G
@Verdade - Últimas

Chuva dá tréguas mas continuam inundações em várias regiões de Sofala e Manica

A chuva deu alguma trégua no Centro de Moçambique e as bacias hidrográficas do Búzi, Púngoè e Zambeze estão com tendência a baixar de caudal no entanto continua condicionada a transitabilidade entre Dombe - Espungabera, Dombe - Sussundenga e Dombe - Goonda e prevalece o cenário de inundações nas localidades de Lamego, Chirassicua, Muda Mufo, Metuchira e Pita. Para este sábado (15) o Instituto Nacional de Meteorologia prevê o seguinte estado do tempo para Moçambique: nas províncias de Niassa, Cabo Delgado e Nampula céu geralmente muito nublado. Continuação de ocorrência de aguaceiros com trovoadas e chuvas fracas a moderadas locais. Vento de noroeste a sueste fraco a moderado. Para as províncias de Tete, Zambézia, Manica e Sofala céu geralmente muito nublado. Aguaceiros com trovoadas e chuvas fracas a moderadas. Vento de sueste a leste fraco a moderado, soprando com rajadas. Nas províncias de Inhambane, Gaza e Maputo céu pouco nublado. Vento de nordeste e leste fraco a moderado. Eis as temperaturas previstas: Cidade Tempo Máx ºC Mín ºC Maputo 34 23 Xai-Xai 31 24 Inhambane 32 25 Vilankulo 32 23 Beira 32 24 Chimoio 27 20 Tete 30 24 Quelimane 33 25 Nampula 33 23 Pemba 32 24 Lichinga 26 17  

GABINFO com muitas acções de propaganda nos primeiros 100 dias da governação de Nyusi

O Gabinete de Informação (GABINFO) é uma das instituições com maior numero de actividades durante os primeiros 100 dias da governação do Presidente Filipe Nyusi, rotuladas como consolidação do diálogo político e unidade nacional são acções ligad
@Verdade - Últimas

GABINFO com muitas acções de propaganda nos primeiros 100 dias da governação de Nyusi

O Gabinete de Informação (GABINFO) é uma das instituições com maior numero de actividades durante os primeiros 100 dias da governação do Presidente Filipe Nyusi, rotuladas como consolidação do diálogo político e unidade nacional são acções ligadas à propaganda do Executivo e do partido Frelimo. Como se de um ministério se tratasse o GABINFO, instituição que tutela a Comunicação Social, tem para realizar até Abril a inauguração da sede de transmissão digital da Televisão de Moçambique (TVM) e os respectivos 10 centros emissores digitais em todas províncias e fazer o lançamento do sinal da TVM na Europa. Com vista a “difundir conteúdos de promoção da imagem do Governo” o . Gabinete de Informação vai implantar 3 rádios e televisões comunitárias nos distritos de Macomia e Meluco (na Província de Cabo Delgado) e também no Distrito de Chiúta (na Província de Tete). Na Província de Sofala o GABINFO vai colocar uma “Unidade Móvel de Mobilização Social”. Ainda nos primeiros 100 dias da governação do Presidente Filipe Nyusi o Gabinete de Informação tem a missão publicar o seu jornal, a sua revistas, vídeos e programas radiofónicos e televisivos com o objectivo de ter a “população consciencializada sobre as realizações do Governo e motivadas a participar activamente no processo de desenvolvimento do país”. Além disso tem de expandir o sinal de Radiodifusão nas províncias de Cabo Delgado, Gaza, Inhambane, Tete, Niassa, Zambézia e Manica.

“Samurais” galgam 7 lugares no ranking da Federação Internacional de Basquetebol

A selecção feminina de Moçambique galgou 7 lugares no ranking da Federação Internacional de Basquetebol (FIBA). As “Samurais” ultrapassaram Angola e são a terceira melhor selecção do continente africano. A participação de Moçambique no torne
@Verdade - Últimas

“Samurais” galgam 7 lugares no ranking da Federação Internacional de Basquetebol

A selecção feminina de Moçambique galgou 7 lugares no ranking da Federação Internacional de Basquetebol (FIBA). As “Samurais” ultrapassaram Angola e são a terceira melhor selecção do continente africano. A participação de Moçambique no torneio mundial de acesso aos Jogos Olímpicos de Tóquio catapultou-a para a maior subida do ranking da FIBA na actualização de Fevereiro, ocupando o 36 lugar mundial. As “Samurais”, embora tivessem ficado com o 4º lugar no último afrobasket, graças ao apuramento da fase africana para o torneio pré-olímpico mundial, tornaram-se na terceira melhor selecção de África com 153,1 pontos, atrás do Senegal e da Nigéria. As “D’Tigress”, que conseguiram o apuramento para os Jogos Olímpicos, subiram para o 14º lugar no ranking da FIBA.

União Europeia critica Eleições de 2019 mas “continua plenamente engajada e ...

Embora a sua Missão de Observação tenha criticado duramente as Eleições Gerais e Províncias de 2019, chegando a declarar que as vitórias esmagadoras do partido Frelimo e dos seus candidatos foram “altamente improváveis”, o embaixador António Sanc
@Verdade - Últimas

União Europeia critica Eleições de 2019 mas “continua plenamente engajada e ...

Embora a sua Missão de Observação tenha criticado duramente as Eleições Gerais e Províncias de 2019, chegando a declarar que as vitórias esmagadoras do partido Frelimo e dos seus candidatos foram “altamente improváveis”, o embaixador António Sanches-Benedito Gaspar deixou claro que: “a União Europeia continua plenamente engajada e comprometida” com o Governo do partido Frelimo. O relatório final da Missão de Observação da União Europeia às eleições de 15 de Outubro passado assinala que: “A FRELIMO beneficiou não só dos oito mandatos adicionais atribuídos à província de Gaza, como também da impressionante mudança do padrão de voto nas províncias centrais, onde a oposição detinha a maioria dos mandatos. Uma análise das mudança dos padrões de voto nas eleições presidenciais entre 2014 e 2019 revela o sucesso de uma estratégia centralizada com o objectivo de aumentar os votos a favor do partido no poder nos distritos da oposição”. “Houve uma surpreendente inversão dos resultados na províncias maioritariamente da oposição como Sofala, Nampula e Zambézia e nos distritos da oposição nas províncias de Manica, Tete e Niassa (como Báruè, Tsangano e Ngaúma, respectivamente)” indica o documento tornado público nesta quarta-feira (12) em Maputo. A conclusão da Missão de Observação, que foi dirigida pelo eurodeputado Nacho Sánchez Amor, é que: “Tal inesperada, direcionada e significante mudança nas preferências de voto, estritamente limitadas aos distritos da oposição, e contrariando os resultados das eleições autárquicas de 2018, são altamente improváveis tanto devido ao ambiente político polarizado como às preferências de voto profundamente enraizadas. A maioria da FRELIMO em todos os 154 distritos foi assim alcançada através de um cuidadoso foco nos distritos e províncias da oposição”. Porém o embaixador da União Europeia em Moçambique, António Sanches-Benedito Gaspar, declarou que o relatório “não constitui nenhuma ingerência”, afinal os observadores eleitorais europeus vieram a convite do Governo do partido Frelimo. “São processo de longo prazo, temos agora um conjunto de recomendações, que não é nenhuma imposição, mas acho que há um bom acolhimento nas diferentes reuniões que já tivemos com representantes das mais altas instituições do Estado que poderão ajudar-nos no nosso trabalho quotidiano de diálogo com as autoridades moçambicanas”, acrescentou António Sanches-Benedito Gaspar na conferencia de imprensa de apresentação do relatório. O diplomata enfatizou: “Queria salientar que a União Europeia continua plenamente engajada e comprometida com Moçambique, existe o desejo de continuar a ajudar, sabemos que há desafios importantes mas também existe uma vontade real de enfrenta-los e de avançar”. Esta posição de não ingerência, parceria, amizade, cooperação da União Europeia tornou-se na última década também numa relação de negócios: as dívidas ilegais foram contraídas na Europa e parte significativa do dinheiro foi gasta lá, as petrolíferas que exploram o gás natural da Bacia do Rovuma estão sedeadas nas principais capitais europeias, o camarão de Moçambique é principalmente pescado por europeus...

Governo de Filipe Nyusi dá calote aos moçambicanos de Govuro, Inhassoro, Moatize e Montepuez

O Governo de Filipe Nyusi desviou mais de 17 milhões de meticais cobrados às multinacionais que exploram gás natural, rubis e carvão mineral, como taxa sobre a receita do Imposto de Produção Mineira e Petrolífera, e que deveria ter canalizados às comu
@Verdade - Últimas

Governo de Filipe Nyusi dá calote aos moçambicanos de Govuro, Inhassoro, Moatize e Montepuez

O Governo de Filipe Nyusi desviou mais de 17 milhões de meticais cobrados às multinacionais que exploram gás natural, rubis e carvão mineral, como taxa sobre a receita do Imposto de Produção Mineira e Petrolífera, e que deveria ter canalizados às comunidades dos distritos de Inhassoro, Govuro, , Moatize e de Montepuez. No Orçamento de Estado de 2018 o Executivo de Nyusi fixou em 2,75 por cento a percentagem das receitas geradas pela extracção mineira e petrolífera que devem ser destinadas a programas que visam o desenvolvimento das comunidades das áreas onde se localizam os projectos, ao abrigo da Lei de Minas e da Lei dos Petróleos. O Tribunal Administrativo (TA) apurou que no exercício fiscal em questão a Sasol Petroleum Temane pagou 523.012.866,14 meticais de Imposto de Produção Petrolífera sendo que as comunidades de Maimelane, no Distrito de Inhassoro, e de Pande, no Distrito de Govuro, na Província de Inhambane, deveriam ter recebido 14.382.853,82 meticais. Porém o Governo apenas canalizou 4.838.200 meticais, menos 9.544.653,82 meticais definidos por lei. Por sua vez Montepuez Rubi Mining, que explora rubis na Província de Cabo Delgado, gerou como Imposto de Produção Mineira 493.308.870 meticais dos quais 13.565.993,93 deveria ter sido entregues às comunidades da localidade de Nyamanhumbir. O Executivo de Nyusi entregou 12.509.340 meticais. As comunidades de Cateme, 25 de Setembro, Chipanga Ii e Benga, no Distrito de Moatize, deveriam ter recebido 14.132.509,07 meticais, correspondente aos 2,5 por cento dos 513.909.420,32 meticais pagos pelas mineradoras Vale, ICVL, JSPL e Minas de Moatize, contudo o Governo desviou 6.830.169,07 meticais. Governo não responde ao Tribunal Administrativo “Tendo em vista a certificação da informação sobre o s sobre a produção pago em 2016, ano em que incidiu a percentagem dos 2,75 por cento das receitas disponibilizadas, em 2018, às comunidades onde estão implantadas as indústrias extractivas, foi realizada uma auditoria ao Ministério da Economia e Finanças, tendo-se constatado que este transferiu o valor de 24.649.880,00 meticais para as comunidades dos distritos de Govuro, Inhassoro, Montepuez e Moatize, ao invés de 42.081.356,82 meticais, resultantes da aplicação da taxa sobre a receita do Imposto de Produção Mineira e Petrolífera cobrada”, indica o TA no seu Relatório Sobre a Conta Geral do Estado de 2018. O tribunal que fiscaliza as contas do Executivo refere no documento tornado público no final de Janeiro que: “A propósito das divergências, o Governo, no contraditório sobre a CGE de 2018, não teceu qualquer comentário”. O @Verdade apurou que esta não é a primeira vez que o Governo dá calote às comunidades onde estão implantadas as indústrias extractivas e que sofrem todos os dias o seu impacto. O pior é que ao longo da década e meia que estas comunidades tem ouvido promessas de educação, saúde, emprego mas o desenvolvimento tarda em chegar. De acordo com a 4ª Avaliação Nacional da Pobreza, realizada pela Direcção de Estudos Económicos e Financeiros do Ministério de Economia e Finanças, a pobreza só tem reduzido na Cidade e Província de Maputo. O número de pobres tem aumentou nas províncias de Inhambane, Tete e Cabo Delgado. A maioria dos manhambanas continuam a ser camponeses que vivem em habitações de caniço e zinco, sem água canalizada e com latrinas não melhoradas. Em Tete o acesso a água potável canalizada ou a uma habitação construída em material convencional e com uma retrete ligada a fossa séptica não passa de um sonho, tal como em Cabo Delgado.

Carlos Mesquita convida empresários noruegueses a investirem em Moçambique

O ministro da Indústria e Comércio, Carlos Mesquita, reiterou esta quinta-feira, 13 de Fevereiro, a aposta do Governo moçambicano no desenvolvimento da indústria nacional através do estímulo a iniciativas empresariais que visem a revitalização e moder
@Verdade - Últimas

Carlos Mesquita convida empresários noruegueses a investirem em Moçambique

O ministro da Indústria e Comércio, Carlos Mesquita, reiterou esta quinta-feira, 13 de Fevereiro, a aposta do Governo moçambicano no desenvolvimento da indústria nacional através do estímulo a iniciativas empresariais que visem a revitalização e modernização do sector, bem como da mobilização do investimento directo estrangeiro em áreas-chave para a diversificação da economia. Os esforços com vista ao alcance deste desiderato incluem, igualmente, a promoção da paz e da estabilidade, o desenvolvimento de infraestruturas para permitir a interligação entre as zonas de produção e os mercados de consumo, o desenvolvimento da agricultura para garantir a segurança alimentar e nutricional, assim como o funcionamento das indústrias e o aumento das exportações. Carlos Mesquita falava na cidade de Maputo, na abertura do Seminário de Negócios Moçambique-Noruega, inserido no âmbito da visita que o Príncipe Herdeiro do Reino da Noruega, Haakon Magno, efectuou ao nosso País entre os dias 12 e 13 de Fevereiro corrente. Para o governante, o seminário deve responder ao desafio de maximizar as oportunidades de investimento existentes em Moçambique, com o envolvimento dos empresários, empreendedores e pequenas e médias empresas (PME) nacionais. Na ocasião, Carlos Mesquita convidou aos empresários noruegueses a investir em áreas catalisadoras do desenvolvimento económico sustentável e inclusivo do País, tais como estabelecimento de franquias, produção local voltada para a exportação e concepção de mecanismos alternativos e adequados de financiamento às PME. Entretanto, ressalvou a necessidade de se “priorizar a formação do capital humano de modo a dotá-lo de capacidades técnicas actuais, a transferência de tecnologia e conhecimento, a promoção e o estabelecimento de parcerias com ganhos repartidos com as PME moçambicanas”. Por seu turno, o Príncipe Herdeiro do Reino da Noruega, Haakon Magno, realçou a importância do sector privado na promoção do desenvolvimento sustentável do País, através, por exemplo, da criação de postos de trabalho. Por isso, apelou aos empresários de ambos os países a engajarem-se fortemente na criação de parcerias com vista a tirarem vantagem das inúmeras oportunidades que Moçambique oferece no campo dos recursos minerais e energéticos. Já o presidente da Confederação das Associações Económicas de Moçambique (CTA), Agostinho Vuma, apontou o acesso ao financiamento como um dos principais entraves ao desenvolvimento e estabilidade do sector privado em Moçambique, tendo, por isso, sugerido a divulgação de instrumentos financeiros disponíveis na Noruega que possam beneficiar as empresas nacionais, que são os principais impulsionadores do crescimento económico do País. “Conhecendo a grande experiência das empresas norueguesas, gostaríamos muito de aceder a instrumentos financeiros que possam ajudar a desenvolver as nossas empresas. Nesse sentido, esperamos ansiosamente ouvir o que a Noruega tem a oferecer às nossas empresas para desenvolver uma parceria mais inteligente na conexão das empresas dos dois países às vastas oportunidades que Moçambique tem a oferecer”, referiu Agostinho Vuma.

Bacias do Búzi, Púnguè e do Zambéze estão a causar inundações, chuva vai continuar em ...

A chuva forte registada na região Centro de Moçambique fez transbordar as bacias do Búzi, Púnguè e do Zambéze condicionando a transitabilidade entre Dombe/Espungabera, Dombe/Sussundenga e Dombe/Goonda. As localidades de Lamego, Chirassicua, Muda Mufo, M
@Verdade - Últimas

Bacias do Búzi, Púnguè e do Zambéze estão a causar inundações, chuva vai continuar em ...

A chuva forte registada na região Centro de Moçambique fez transbordar as bacias do Búzi, Púnguè e do Zambéze condicionando a transitabilidade entre Dombe/Espungabera, Dombe/Sussundenga e Dombe/Goonda. As localidades de Lamego, Chirassicua, Muda Mufo, Metuchira e Pita estão inundadas. O Instituto Nacional de Meterologia (INAM) prevê a continuação de ocorrência chuvas fortes (mais de 50 milímetros em 24 horas) localmente muito fortes (mais de 100 milímetros em 24 horas), que podem ser acompanhadas de trovoadas e ventos com rajadas nas províncias de Manica (nos distritos de Barué, Macossa, Tambara e Guro); Tete (nos distritos de Zumbo, Mágoe, Changara, Cahora Bassa, Magoe, Marara, Doa, Mutarara, Moatize, Chiuta, Tsangano, Macanga, Chifunde Marávia e cidade de Tete); e na Província da Zambézia (nos distritos de Mopeia, Morrumbala, Molumbo, Milange, Gurúe, Alto Molocue, Namarrói, Ille, Derre, Lugela e Mocuba). O cenário de inundações na vila de Búzi (nas localidades de Bândua, Grudja, Guara-guara e Estaquinha) e no distrito de Nhamatanda (em Lamego, Chirassicua, Muda Mufo) vai continuar e poderá manter-se condicionada a transitabilidade entre as localidades de Lamego/Bebedo e Tica/Búzi. A Direcção Nacional de Gestão de Recursos Hídricos prevê igualmente risco de inundações localizadas para as cidades de Tete e Chimoio. Entretanto o INAM prevê para as províncias de Niassa, Cabo Delgado e Nampula céu geralmente muito nublado. Ocorrência de aguaceiros com trovoadas e chuvas fracas a moderadas locais. Vento de noroeste a nordeste fraco a moderado, soprando por vezes com rajadas nas terras altas do interior. Nas províncias de Inhambane, Gaza e Maputo o INAM prevê céu pouco nublado localmente nublado. Possibilidade de chuvas fracas em Inhambane e a norte de Gaza. Vento de leste a nordeste fraco a moderado. Eis as temperaturas previstas: Cidade Tempo Máx ºC Mín ºC Maputo 34 23 Xai-Xai 33 24 Inhambane 33 26 Vilankulo 32 24 Beira 31 24 Chimoio 29 21 Tete 33 24 Quelimane 33 25 Nampula 33 24 Pemba 31 23 Lichinga 24 17  

Sobe para 87 óbitos causados pela época chuvosa em Moçambique

Subiu para 87 o número de mortos em consequência directa de eventos relacionados com a época chuvosa 2019 – 2020 em Moçambique, os novos óbitos foram registados nas províncias de Tete e Zambézia. As chuvas fortes acompanhadas por descargas eléctr
@Verdade - Últimas

Sobe para 87 óbitos causados pela época chuvosa em Moçambique

Subiu para 87 o número de mortos em consequência directa de eventos relacionados com a época chuvosa 2019 – 2020 em Moçambique, os novos óbitos foram registados nas províncias de Tete e Zambézia. As chuvas fortes acompanhadas por descargas eléctricas causaram mais quatro óbitos esta semana na Província de Tete. Na Província da Zambézia outros cinco cidadãos morreram devido descargas atmosféricas, de acordo com o Delegado do Instituto Nacional de Gestão de Calamidades na Zambézia, Nelson Ludovico em entrevista a Rádio Moçambique.

Estado recuperou apenas 10 por cento das Dívidas Tributárias em Moçambique

A Autoridade Tributária de Moçambique (ATM) revelou ao @Verdade entre Março de 2019 e Janeiro último foram recuperados apenas 2,2 biliões de meticais dos 22,4 biliões esperados com a introdução da Lei do Regime Excepcional de Perdão de Dívidas Tribu
@Verdade - Últimas

Estado recuperou apenas 10 por cento das Dívidas Tributárias em Moçambique

A Autoridade Tributária de Moçambique (ATM) revelou ao @Verdade entre Março de 2019 e Janeiro último foram recuperados apenas 2,2 biliões de meticais dos 22,4 biliões esperados com a introdução da Lei do Regime Excepcional de Perdão de Dívidas Tributárias. Aprovada em Abril do ano passado pela Assembleia da República o dispositivo legal foi criado pelo Governo para tentar lidar com a acumulação de processos de contribuintes devedores à ATM que devido ao peso das multas, juros de mora e demais acréscimos legais ascendia a 46 biliões de meticais. O objectivo era de em 12 meses o erário tentar recuperar 22,4 biliões de meticais, perdoando 23,6 biliões de multas, juros, custas de processo executivo e demais acréscimos legais decorrentes de impostos nacionais e autárquicos ou de incumprimento de obrigações acessórias, cuja dívida tenha sido constituída até 31 de Dezembro de 2018. Questionada pelo @Verdade a Autoridade Tributária de Moçambique revelou que: “Para esta iniciativa candidataram-se 201 contribuintes dos quais, já foi recuperado 2.181.787,41 mil meticais e perdoado 929.234,47 mil meticais”.

PIB de Moçambique em 2019 ficou-se pelos 2,2 por cento, o mais baixo desde 2000

O Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgou nesta quarta-feira (12) as Contas Nacional do IV Trimestre do ano passado que indicam que a economia cresceu 2,03 por cento o que revela que o Produto Interno Bruto (PIB) em 2019 ficou-se pelos 2,2 por cento
@Verdade - Últimas

PIB de Moçambique em 2019 ficou-se pelos 2,2 por cento, o mais baixo desde 2000

O Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgou nesta quarta-feira (12) as Contas Nacional do IV Trimestre do ano passado que indicam que a economia cresceu 2,03 por cento o que revela que o Produto Interno Bruto (PIB) em 2019 ficou-se pelos 2,2 por cento, o mais baixo desde o ano 2000. “O desempenho da actividade económica no quarto trimestre de 2019 é atribuído em primeiro lugar ao sector terciário que cresceu em 1,5 por cento, com maior destaque para o ramo de serviços financeiros com crescimento na ordem de 5,6 por cento, seguido dos ramos de Transportes, Armazenagem, Actividades auxiliares dos transportes, Informação e Comunicações com um crescimento na ordem de 3,17 por cento”, refere a publicação do INE. Nas Contas Nacional do IV Trimestre: “Ocupa a segunda posição o sector primário com um crescimento de 0,72 por cento, sendo que contribuíram para tal, o ramo da Pesca com 4,1 por cento, coadjuvado pelos os ramos da Agricultura, Pecuária, Caça, Silvicultura, Exploração florestal e Actividades relacionadas registaram um crescimento na ordem de 1,4 por cento”. “O sector secundário teve um comportamento contrário, registando um descréscimo na ordem de -0,87 por cento, induzido pela indústria transformadora que registou um decréscimo na ordem de -2,6 por cento”, indica ainda a publicação Instituto Nacional de Estatística. Somando os PIB dos quatro trimestres do ano passado o @Verdade apurou que o crescimento económico global foi de apenas 2,21 por cento, abaixo dos 2,5 projectados pelo Governo de Filipe Nyusi após os ciclones Idai e Kenneth. Foi o crescimento económico mais baixo das duas últimas décadas, é preciso recuar ao ano 2000 para encontrar um Produto Interno Bruto mais baixo.

Eleições Gerais de 2019 “só vão terminar quando houver uma sentença” do caso Matavel, ...

O Chefe de (UE) afirmou nesta quarta-feira (12) que a Eleições Gerais e Provinciais de 15 de Outubro de 2019 “só vão terminar quando houver uma sentença na qual se garanta que não haverá impunidade para os agressores”, em alusão ao assassinato do
@Verdade - Últimas

Eleições Gerais de 2019 “só vão terminar quando houver uma sentença” do caso Matavel, ...

O Chefe de (UE) afirmou nesta quarta-feira (12) que a Eleições Gerais e Provinciais de 15 de Outubro de 2019 “só vão terminar quando houver uma sentença na qual se garanta que não haverá impunidade para os agressores”, em alusão ao assassinato do observador eleitoral Anastácio Matavel por agentes da PRM uma semana antes da votação. Nacho Sánchez Amor recomendou “a publicação das cópias originais dos resultados por mesa das assembleias de voto”, pediu “autonomia financeira” para a CNE e sugeriu que “os meios de comunicação públicos tem que ser dependes do parlamento”. Após a legitimação de um dos mais fraudulentos pleitos eleitorais no nosso país que assegurou uma esmagadora vitória para o partido Frelimo e os seus candidatos a Missão de Observação da UE apresentou o seu relatório final onde assinala que: “As recentes alterações à legislação eleitoral não demonstraram consideração pelas recomendações oferecidas pelas mais recentes missões eleitorais da União Europeia de 2014 e 2018. Apenas três das 21 recomendações oferecidas pela Missão de Observação da União Europeia de 2014 foram implementadas”. O documento, que apresenta 20 recomendações ao Governo de Filipe Nyusi, indica ainda que “Existiu uma falta de confiança por parte dos concorrentes quanto à capacidade da CNE em ser imparcial, independente e livre de influência política”, “Não foram tomadas as medidas necessárias para assegurar a qualidade do recenseamento eleitoral”, “O período de campanha foi marcado por violência e limitações à liberdade de reunião”, e “Os procedimentos de votação foram bem implementados, enquanto que durante a contagem muitas vezes não se respeitaram os procedimentos estabelecidos”. Intervindo na apresentação do relatório, em Maputo, Nacho Sánchez Amor disse que embora a “independência da Comissão Nacional de Eleições é garantida por ter uma composição plural, derivada da proporcionalidade na Assembleia da República, mas também tem necessidade de autonomia financeira”. “Um elemento essencial para a transparência das eleições, aqui e em qualquer lugar do mundo, e a prova melhor de uma vontade pública de transparência, é a publicação das cópias originais dos resultados por mesa das assembleias de voto. Isso permite comparar os resultados que cada partido obteve na mesa com o que foi contabilizado, é uma garantia mínima e que ajudaria a dar transparência ao processo”, recomendou o membro do Parlamento Europeu que chefiou a Missão. “Sistema de credenciação de observadores foi muito estranho” O relatório constatou que “Os meios públicos de comunicação social forneceram uma cobertura desequilibrada a favor do partido no pode”, além disso “os canais de televisão privadas Soico Televisão (STV), TV Miramar e TV Sucesso também ofereceram uma cobertura desequilibrada a favor do partido no poder e do seu candidato presidencial Felipe Nyusi”. Neste âmbito o Chefe de Missão de Observação da UE sugeriu que “os meios de comunicação públicos tem que ser dependes do parlamento e portanto não na órbita do Governo, é um sistema que tem funcionado noutros países, há que ter a vontade política de deixar trabalhar os profissionais dos órgãos de comunicação públicos”. Nacho Sánchez Amor declarou que “o sistema de credenciação de observadores foi muito estranho, a Comissão Nacional de Eleições demorou muito a entrega das credenciais as Organizações da Sociedade Civil conhecidas. Mas paralelamente foi capaz de credenciar 20 mil observadores nos últimos dias, então o problema não parece ser meios, havia capacidade para fazê-lo, mas não foi feito atempadamente e isso criou dificuldades”. Oportunidade para reformas que mostrem que Moçambique caminha para maior maturidade democrática “O caso Matavel marcou as eleições, eu creio que o país deve estar consciente do ponto de vista político e da imagem internacional estas eleição só vão terminar quando houver uma sentença na qual se garanta que não haverá impunidade para os agressores. Falou-se muito pouco na Europa destas eleições, mas o caso Matavel foi notícia em todo o mundo sobre as eleições em Moçambique”, enfatizou o membro do Parlamento Europeu que chamou Anastácio Matavel de “colega observador doméstico”. O Chefe de Missão de Observação da União Europeia pediu “a todos os actores políticos, o Governo, os partidos de oposição, instituições, é importante ter vontade política de fazer eleições mais apuradas, mais democráticas, mais abertas, mais transparentes”. Na óptica de Nacho Sánchez Amor apesar da posição dominte do partido Frelimo sobre o sistema político parecer uma dificuldade para reformas, “eu pelo contrário penso que é uma grande oportunidade. Uma grande oportunidade que o partido no Governo considere que havendo um tempo sem eleições pudesse encarar uma vaga de reformas também no campo do processo eleitoral que permitisse que todos os actores políticos, a observação internacional, aos partidos e a imprensa, ter a sensação que o país caminha para uma maior maturidade democrática”.

Bacia do Búzi transbordou e chuva intensa vai continuar no Centro de Moçambique

Nas últimas 24 horas foi registada muita precipitação no Centro de Moçambique particularmente na Bacia hidrográfica do rio Púngoè (Fronteira 284.3milímetros, Vanduzi 254.3mm, Maringue Vila sede 228.0mm e Gondola 155.8mm) no entanto ainda está abaixo
@Verdade - Últimas

Bacia do Búzi transbordou e chuva intensa vai continuar no Centro de Moçambique

Nas últimas 24 horas foi registada muita precipitação no Centro de Moçambique particularmente na Bacia hidrográfica do rio Púngoè (Fronteira 284.3milímetros, Vanduzi 254.3mm, Maringue Vila sede 228.0mm e Gondola 155.8mm) no entanto ainda está abaixo do alerta. Contudo na Bacia do Búzi o nível de alerta foi ultrapassado em Dombe e Goonda, 4,50m e 2.17 metros, respectivamente, condicionada a transitabilidade entre Dombe - Espungabera, Dombe - Sussundenga e Dombe - Goonda. As inundações devem aumentar pois o Instituto Nacional de Meteorologia prevê a continuação de ocorrência chuvas fortes (mais de 50 milímetros em 24 horas) localmente muito fortes (mais de 100 milímetros em 24 horas), que podem ser acompanhadas de trovoadas e ventos com rajadas nas províncias de Sofala (nos distritos de Chemba, Caia, Maringue, Marromeu, Cheringoma e Gorongoza); Manica (nos distritos de Machaze, Mossurize, Sussudenga, Macate, Gondola, Manica, Vanduzi, Barué, Macossa, Tambara, Guro e cidade de Chimoio); e também na Província de Tete (principalmente nos distritos de Changara, Cahora Bassa, Magoe, Marara, Doa, Mutarara, Moatize, Chiuta, Tsangano, Macanga, Chifunde Marávia e cidade de Tete). Face às previsões meteorológicas e a situação hidrológica prevalecente a Direcção Nacional de Gestão dos Recursos Hídricos prevê que nas próximas 72 horas vai aumentar o volume de escoamento na Bacia do Búzi, «causando inundações na vila de Búzi, localidades de Bândua, Grudja, Guara-guara e Estaquinha. Na bacia do Púngoè, igualmente, prevê-se incremento do volume de escoamento, causando inundações no distrito de Nhamatanda (Lamego, Chirassicua, Muda Mufo), e condicionando a transitabilidade entre as localidades de Lamego - Bebedo e Tica-Búzi e prevalência do cenário de inundações urbanas na cidade de Chimoio». Entretanto o INAM prevê nas províncias de Niassa, Cabo Delgado e Nampula céu geralmente muito nublado. Aguaceiros com trovoadas ou chuvas fracas localmente moderadas a forte no interior de Niassa. Vento de noroeste a nordeste fraco a moderado, soprando por vezes com rajadas. Para as províncias de Inhambane, Gaza e Maputo o INAM prevê céu pouco nublado localmente nublado. Chuvas fracas em Inhambane e a norte de Gaza. Vento de sueste a nordeste fraco a moderado. Eis as temperaturas previstas: Cidade Tempo Máx ºC Mín ºC Maputo 31 22 Xai-Xai 30 24 Inhambane 33 25 Vilankulo 31 24 Beira 31 25 Chimoio 27 20 Tete 31 25 Quelimane 32 24 Nampula 32 23 Pemba 31 24 Lichinga 24 16  

Morreu Marcelino dos Santos, um dos fundadores da FRELIMO que por causa da cor da pele nunca ...

Faleceu nesta terça-feira (11) Marcelino dos Santos, vítima de doença, a poucos meses de comemorar 91 anos de idade. Um dos fundadores da Frente de Libertação de Moçambique, combatente da Luta Armada, Governador provincial, ministro, presidente da Assem
@Verdade - Últimas

Morreu Marcelino dos Santos, um dos fundadores da FRELIMO que por causa da cor da pele nunca ...

Faleceu nesta terça-feira (11) Marcelino dos Santos, vítima de doença, a poucos meses de comemorar 91 anos de idade. Um dos fundadores da Frente de Libertação de Moçambique, combatente da Luta Armada, Governador provincial, ministro, presidente da Assembleia Popular, nunca chegou a Presidente da República, acredita-se por causa da cor da sua pele e da mulher com quem casou-se. Usando a poesia declarou o seu amor à pátria pela qual lutou incansavelmente: “Oh Moçambique, meu país bem amado”. No lento balancear das palmeiras torcendo-se em movimento melancólicos eu canto-te o meu amor   No saltitar contente dos peixes trazidos nas redes dos homens que vêem do mar eu canto-te o meu amor   Na lua que vem escutar o tam tam a voz de meus irmãos eu canto-te o meu amor   No xirico traquino cantando o sol nas gotas de suor do meu dorso nú eu canto-te o meu amor   Brincando nos ramos das mangueiras e dos cajueiros na ânsia de colher o fruto mais alto eu canto-te o meu amor   Correndo nos caminhos brincando com uma de meia e uma enxada nos campos de milho e amendoim eu canto-te o meu amor   Nas correntes que me prendem os pés, as mãos e a voz e cerram o lírio vermelho do meu coração eu canto-te o meu amor   Quando vendido as minas do Transval pelos senhores eu volto em cada grão de poeira de carvão eu canto-te o meu amor   Quando o meu corpo se confunde com o cimento e as casas e as estradas são da cor do meu sangue eu canto-te o meu amor   Quando cada moeda caindo nos cofres da civilização é o grito de uma mãe chorando a morte do seu filho eu canto-te o meu amor   E pela força desse mesmo amor oh Moçambique meu país bem amado oh minha terra querida que séculos de escravidão foram impotentes para calar o teu coração   Que séculos de escravidão apenas tornaram mais forte a força da tua razão eu ergo o meu braço e forte do humano ódio daquele que não quer ser escravo porque é homem empunharei de novo a minha lança e destruirei esse monstro que engendrou homens cuja existência não tem manhã humanas   Esse monstro que criou homens inimigos do homem esse monstro que no desespero da sua agonia absorve ainda sangue quente das suas últimas vítimas   Oh Moçambique meu país bem amado os teus filhos entoam já este canto que percorre a África inteira   Este canto nascido do ódio à escravatura à fome à miséria   Este canto de esperança este canto de certeza este canto do amor natural   Do Lumbo à Herói Nacional Estas são palavras do poeta e revolucionário nascido no Lumbo, na Província de Nampula, a 20 de Maio de 1929. Marcelino dos Santos cresceu na Cidade de Lourenço Marques, hoje Maputo, até aos 18 anos de idade rumar para Portugal para fazer os estudos superiores. Acabou por formar-se em Ciências Económicas e Sociologia na Universidade de Sorbonne, em França. Em 1957 participou da fundação do Movimento Anti-Colonial, três anos mais tarde tomou parte na criação da Conferência das Organizações Nacionalistas das Colónias Portuguesas e tornou-se membro da União Democrática Nacional de Moçambique (UDENAMO). Aos 33 anos de idade trabalhou ao lado de Eduardo Mondlane na união dos principais movimentos de resistência à ocupação colonial de Moçambique que culminou com o surgimento da Frente de Libertação de Moçambique, cujos estatutos é lhe atribuída a paternidade. Em 1964 exerceu o cargo de secretário para os assuntos externos e com o assassinato de Mondlane foi eleito para o triunvirato que dirigiu a FRELIMO, ao lado de Uria Simango e Samora Machel. Entre 1969 e 1977 exerceu o cargo de vice-presidente da então Frente de Libertação. Foi o primeiro ministro da Planificação Económica, em 1983 ocupou o cargo de Governador da Província de Sofala, durante os mais conturbados momentos da guerra civil, antes de ser indigitado em 1989 para presidir o primeiro Parlamento do nosso país na altura denominado Assembleia Popular, até ao início do multipartidarismo em Moçambique. Um dos poucos quadros da FRELIMO com formação superior, de experiência reconhecida e com conhecimentos e contactos mundiais na altura da independência Marcelino dos Santos deixa a percepção que só não chegou a Presidente da República devido a cor da sua pele e da mulher que escolheu amar, uma cidadã sul-africana branca. Devido a ausência do Presidente Filipe Nyusi e do seu Governo da capital do país, estão em Cabo Delgado, não foi ainda declarado Luto Nacional nem são conhecidos os detalhes do último adeus a Marcelino dos Santos, declarado Herói Nacional em 2015.

Presidente Filipe Nyusi ataca “redes sociais destroem o país”

Após dois dias de Conselho de Ministros na Cidade de Pemba, para “auscultar a população, auscultar as pessoas influentes” sobre ataques que desde 2017 aterrorizam a Província de Cabo Delgado, o Presidente Filipe Nyusi revelou nesta terça-feira (11) q
@Verdade - Últimas

Presidente Filipe Nyusi ataca “redes sociais destroem o país”

Após dois dias de Conselho de Ministros na Cidade de Pemba, para “auscultar a população, auscultar as pessoas influentes” sobre ataques que desde 2017 aterrorizam a Província de Cabo Delgado, o Presidente Filipe Nyusi revelou nesta terça-feira (11) que continua sem planos objectivos para acabar com os “malfeitores” e atacou as “redes sociais destroem o país, os outros países no mundo usam para desenvolver”. A ministra Helena Khida, porta-voz da 4ª sessão do Conselho de Ministros, esclareceu que “em relação a situação de segurança na Província de Cabo Delgado, em particular na zona Norte, o que foi feito nesta sessão foi auscultar a população, auscultar as pessoas influentes, auscultar o governo distrital e o próprio governo da Província, de modo a que o Governo possa responder com acções para trazer soluções para esta situação de instabilidade, em suma foi feita auscultação. Depois da auscultação o Governo estará em condições de delimitar as melhores estratégias e encontrar soluções efectivas para esta situação de intranquilidade na Província de Cabo Delgado”. “Em relação a emergência provocada pela época chuvosa, que resulta muita das vezes na inundação, o que aconteceu foi que cada sector que tem algum impacto já trouxe planos, uns já estão em andamento e outros que visem implementar a curto e médio prazo”, acrescentou a titular da Justiça, Assuntos Constitucionais e Religiosos. No seguimento do Conselho de Ministros, que foi alargado aos governos provincial e distrital, o Chefe do Governo dirigiu um comício na Cidade de Pemba onde começou com o mesmo discurso de outras ocasiões recentes: “Os malfeitores estão a matar a população, estão a destruir as casas queimando. Essas pessoas que não são só moçambicanos, mas a maioria são moçambicanos jovens, estão a criar distúrbios e a impedir o desenvolvimento dos moçambicanos. Não dão a cara ainda, estão com vergonha, por de facto não sabem porque matam outra pessoa, porque não dizem eu é que matei, por isso tem sido um pouco difícil a abordagem”. Em jeito de prestação de contas ao povo Filipe Nyusi disse que durante os dois dias “as questões foram levantadas, foram identificadas e o Governo saiu aqui com toda esta informação, com todas constatações, e vamos sentar, dentro do Governo primeiro, e depois juntamente com as Forças de Defesa e Segurança que estiveram aqui e acompanharam todo o processo. Sabemos como é que estão a agir agora, como eles são cobardes, recrutam jovens, enganam jovens, dão dinheiro e depois jovens quando vão não voltam”. “Nós não podemos dramatizar aquilo que acontece, infelizmente temos compatriotas que gostam quando o moçambicano sofre (...) eu não conheço essa tradição, quando há um falecimento ao lado aparece alguém que vai-se rir (...) até tirar fotografia morto para dizer esse morreu, essa não é cultura dos moçambicanos. Mas existem alguns acarinham, perseguem para poder dramatizar ou divulgar a actividade dos assassinos contra os moçambicanos”, declarou Nyusi. Sobre como acabar com os ataques em Cabo Delgado o Presidente da República afirmou que “em nenhuma guerra que se diz eu vou fazer assim” tendo dito ainda que as personalidades influentes da província com quem privou revelaram saber que são as “redes sociais que destroem o país, os outros países no mundo usam para desenvolver os seus países, mas somos enganados para destruir”.

Governo revoga concessões mineiras da Kingho Investiment e Midwest África

O Governo revogou as concessões minerais para a exploração de carvão mineral atribuídas as empresas Kingho Investiment Company e Midwest África. Outras cinco mineradoras estiveram sob escrutínio do Instituto Nacional de Minas (INAMI) mas “invocaram f
@Verdade - Últimas

Governo revoga concessões mineiras da Kingho Investiment e Midwest África

O Governo revogou as concessões minerais para a exploração de carvão mineral atribuídas as empresas Kingho Investiment Company e Midwest África. Outras cinco mineradoras estiveram sob escrutínio do Instituto Nacional de Minas (INAMI) mas “invocaram factos de força maior” para até hoje não terem iniciado as suas actividades. Das 20 concessões mineiras, da área do carvão mineral, atribuídas em Moçambique oito até hoje não iniciaram a produção e por isso, à luz da legislação, as suas licenças estão sujeitas a serem revogadas. Questionado pelo @Verdade o INAM esclareceu que: “As concessões mineiras da ICVL Zambeze, Eta Star Moçambique, Sol Mineração Moçambique estão em vigor tendo recebido pré avisos de revogação por incumprimento dos prazos de início de produção. Em resposta apresentaram fundamentos e justificativos que levaram ao levantamento dos pré avisos de revogação”. “As concessões mineiras das Minas de Revubue e da ENRC Mozambique igualmente estão em vigor mas invocaram factos de força maior tendo sido aceites”, explicou ainda a autoridade reguladora da actividade mineira no país. No entanto o Instituto Nacional de Minas revelou ao @Verdade que as concessões atribuídas a Kingho Investiment Company e a Midwest África foram revogadas. De capitais indianos a Midwest África obteve em 2013 a concessão de uma área de 15840 hectares para exploração de carvão e metais básicos em Moatize, na Província de Tete a partir de 2019. Prometeu investir 1,4 bilião de dólares norte-americanos e criar 1.320 postos de trabalho. Nada aconteceu. A Kingho Investiment Company, de capitais chineses, associada à Empresa Moçambicana de Exploração Mineira e a securitária Monte Binga, obteve em 2014 a concessão de 8 mil hectares para abrir uma mina de carvão mineral em Mufa, no Distrito de Marara, na Província de Tete. Com início de actividades previsto para 2015 a Kingho prometeu investir 1 bilião de dólares norte-americanos e criar 1.471 postos de trabalho. Nunca começou a produzir.

Polícia mata cidadão indefeso e fere menor de idade em Tete

A Polícia da República de Moçambique (PRM) em Tete matou a tiro um cidadão indefeso e feriu quatro pessoas que se manifestavam pelo sucedido, uma dela é um menor de idade. O crime aconteceu nesta segunda-feira (10) em circunstâncias ainda não esclar
@Verdade - Últimas

Polícia mata cidadão indefeso e fere menor de idade em Tete

A Polícia da República de Moçambique (PRM) em Tete matou a tiro um cidadão indefeso e feriu quatro pessoas que se manifestavam pelo sucedido, uma dela é um menor de idade. O crime aconteceu nesta segunda-feira (10) em circunstâncias ainda não esclarecidas PRM que acusa o finado de ser o facilitador de imigrantes ilegais. Cidadãos enfurecidos levaram a urna do malogrado para o Comando distrital da PRM em Macanga e manifestaram-se procurando esclarecimento sobre as circunstâncias do crime. A polícia ripostou com tiros para o ar que acabaram por ferir quatro pessoas, entre elas um menor de idade que estava no colo da sua mãe.

Bacia do Búzi transborda em Dombe e chuvas vão continuar no Centro de Moçambique

As chuvas fortes que tem caído no Centro e Norte de Moçambique originaram a subida do nível hidrométrico na bacia do Megaruma em 0,05 metros acima do nível de alerta, nas bacias do Búzi em Dombe e Zambeze em Zumbo os níveis de alerta foram ultrapassa
@Verdade - Últimas

Bacia do Búzi transborda em Dombe e chuvas vão continuar no Centro de Moçambique

As chuvas fortes que tem caído no Centro e Norte de Moçambique originaram a subida do nível hidrométrico na bacia do Megaruma em 0,05 metros acima do nível de alerta, nas bacias do Búzi em Dombe e Zambeze em Zumbo os níveis de alerta foram ultrapassados em 2,54 e 0,20 metros, respectivamente, condicionamento da circulação rodoviária entre Dombe e Sussundenga, face a subida do caudal do rio Mussapa. Entretanto o Instituto Nacional de Meteorologia (INAM) prevê a continuação de ocorrência chuvas fortes (mais de 50 milímetros em 24 horas) localmente muito fortes (50 a 75 milímetros em 24 horas), que podem ser acompanhadas de trovoadas e ventos com rajadas nas províncias de Sofala (nos distritos deBuzi, Chibabava, Gorongoza, Maringue, Chemba, Dondo e cidade da Beira); Manica (nos distritos de Machaze, Mossurize, Sussudenga, Macate, Gondola, Manica, Vanduzi, Barué, Macossa, Tambara, Guro e cidade de Chimoio); e Tete (principalmente nos distritos de Changara, Cahora Bassa, Magoe, Marara, Doa, Mutarara, Moatize, Chiuta, Tsangano, Macanga, Chifunde Marávia e cidade de Tete). Para as províncias de Niassa, Cabo Delgado e Nampula o INAM prevê céu geralmente muito nublado. Ocorrência de aguaceiros com trovoadas ou chuvas fracas localmente moderadas em Pemba. Vento de noroeste a nordeste fraco a moderado. Nas províncias de Inhambane, Gaza e Maputo o INAM prevê céu pouco nublado localmente muito nublado. Aguaceiros acompanhados de trovoadas ou chuvas fracas a moderadas, localmente fortes em Inhambane. Vento de sueste a sudoeste fraco a moderado, soprando por vezes com rajadas na faixa costeira. Eis as temperaturas previstas: Cidade Tempo Máx ºC Mín ºC Maputo 27 22 Xai-Xai 28 25 Inhambane 31 26 Vilankulo 32 24 Beira 30 24 Chimoio 25 21 Tete 29 23 Quelimane 30 26 Nampula 31 23 Pemba 33 24 Lichinga 27 18    

Leia Dongue no cinco ideal do apuramento para os Jogos Olímpicos de Tóquio

Aos 28 anos de idade a melhor basquetebolista de Moçambique, Leia Dongue, foi coroada como uma das cinco melhores no Grupo A de apuramento final para os Jogos Olímpicos de Tóquio, prova que decorreu em Belgrado, ao lado de duas norte-americanas, uma sérvi
@Verdade - Últimas

Leia Dongue no cinco ideal do apuramento para os Jogos Olímpicos de Tóquio

Aos 28 anos de idade a melhor basquetebolista de Moçambique, Leia Dongue, foi coroada como uma das cinco melhores no Grupo A de apuramento final para os Jogos Olímpicos de Tóquio, prova que decorreu em Belgrado, ao lado de duas norte-americanas, uma sérvia e uma nigeriana. Leia Tânia do Bastião Dongue, que joga na Espanha, foi escolhida pela média de 10 pontos por jogo, 5,3 ressaltou e 2,3 assistências. A extremo-poste moçambicana começou por encestar 16 pontos frente a Nigéria, marcou 10 contra os Estados Unidos da América (EUA) e na derradeira partida, diante da Sérvia, só conseguiu colocar no cesto 4 pontos. Para o cinco ideal do torneio onde Moçambique não conseguiu a vitória que teria assegurado o sonho olímpico foram ainda eleitas as norte-americanas Nneka Ogwumike, como a MVP do Grupo A que foi disputado em Belgrado, e A'ja Wilson. Completaram cinco ideal a sérvia Ana Dabovic e a nigeriana Ezinne Kalu.

Sobe para 78 vítimas mortais da época chuvosa em Moçambique

Pelo menos nove cidadãos perderam a vida neste domingo (09) no Distrito de Morrumbala, na Província da Zambézia, em consequência de uma descarga atmosférica e um outro morreu na Província de Maputo, elevando para 78 o número de óbitos desde que a épo
@Verdade - Últimas

Sobe para 78 vítimas mortais da época chuvosa em Moçambique

Pelo menos nove cidadãos perderam a vida neste domingo (09) no Distrito de Morrumbala, na Província da Zambézia, em consequência de uma descarga atmosférica e um outro morreu na Província de Maputo, elevando para 78 o número de óbitos desde que a época chuvosa iniciou em Moçambique. As mais recentes vítimas mortais foram atingidas por uma descarga atmosférica no interior de uma igreja onde participavam num culto religioso no povoado de Chinganhama, no Distrito de Morrumbala. Outras cinco pessoas contraíram ferimentos ligeiros. Entretanto, durante as últimas semanas de Janeiro, sete pessoas morreram na Província de Nampula em eventos relacionados com a época chuvosa, três no Distrito de Morrupula e quatro no Distrito de Nacarôa. Houve ainda o registo de uma vítima mortal das chuvas na Província de Tete. Nesta segunda-feira (10) um cidadão foi atingido por um raio quando caminhava para a sua residência no bairro de Golhoza, no Município da Matola, na Província de Maputo.

Visita de Director do FMI prenuncia novo Instrumento de Apoio à Política Económica de ...

A visita do Director Geral Adjunto do Fundo Monetário Internacional (FMI) a Moçambique prenuncia que o pedido de um novo Instrumento de Apoio à Política Económica (PSI) pelo Governo de Filipe Nyusi poderá ser bem acolhido pela instituição financeira q
@Verdade - Últimas

Visita de Director do FMI prenuncia novo Instrumento de Apoio à Política Económica de ...

A visita do Director Geral Adjunto do Fundo Monetário Internacional (FMI) a Moçambique prenuncia que o pedido de um novo Instrumento de Apoio à Política Económica (PSI) pelo Governo de Filipe Nyusi poderá ser bem acolhido pela instituição financeira que suspendeu o anterior em 2016 após a descoberta da extensão das dívidas ilegais. “Estou particularmente animado por ver que o desempenho da economia vai bem” disse Tao Zhang, o primeiro director do FMI a visitar Moçambique desde 2016. As eleições terminaram, o Presidente da República tomou posse, um novo governo está em funções, Moçambique retomou o pagamento da dívidas ilegais da EMATUM, estão quase criadas todas as condições para um pedido de novo Programa Financeiro seja aceite pelo FMI. “Tivemos muito boas discussões, cobrimos muito assuntos, estou particularmente animado por ver que o desempenho da economia vai bem e o país está a recuperar bem do impacto devastador dos ciclones Idai e Kenneth, no ano passado”, declarou Tao Zhang após reunir nesta segunda-feira (10) com o ministro da Economia e Finanças, Adriano Maleiane, e o Governador do Banco de Moçambique, Rogério Zandamela. O primeiro director Fundo Monetário Internacional que visita o nosso país desde a descoberta das dívidas ilegais da Proindicus e MAM disse esperar “que as reformas nas políticas (fiscal) continuem nos próximos anos particularmente ao nível da estabilidade macro-económica e governação”. Uma das principais consequências da descoberta das dívidas ilegais em 2016, e que precipitou a crise económica e financeira que até hoje se vive, foi a suspensão do Programa Financeiro que Moçambique tinha com o FMI por violação das obrigações previstas na Secção 5 do Artigo VIII do PSI rubricado em 2013. Contudo mais importante do que o montante, na altura o nosso país esperava receber a segunda tranche da Linha de Crédito Stand-by de 283 milhões de dólares norte-americanos, a existência de um Programa Financeiro com o Fundo Monetário Internacional significa que o país é elegível para os investidores estrangeiros e pode ter acesso aos mercados internacionais. Tao Zhang não se disponibilizou a esclarecer se um novo PSI foi objecto das discussões e o Executivo de Nyusi não revela se vão pedi-lo juntamente com uma nova Linha de Crédito Stand-by, que são empréstimos concedido pelo Fundo Monetário Internacional a países pobres com problemas de curto prazo na balança de pagamentos, como é o caso de Moçambique. Por coincidência, ou não, nesta segunda-feira (10) a Procuradoria-Geral da República anunciou ter abdicado dos recursos judiciais na África do Sul referentes à extradição do ex-ministro das Finanças Manuel Chang para Moçambique. Chang foi o ministro das Finanças que assinou as Garantias Soberanas que possibilitaram as dívidas ilegais e depois ocultou-os do Fundo Monetário Internacional quando em 2014 organizou uma inédita conferencia em Maputo, com a presença da então directora-geral, Christine Lagarde, quando “Moçambique estava em ascensão”. O @Verdade sabe que é expectável que no próximo mês uma equipa da FMI visite Maputo, em mais uma missão de “Consulta do Artigo IV”, e é previsível que após essa missão o Governo de Filipe Nyusi formalize o pedido de um novo PSI acompanhado por uma nova linha de crédito.

Terminar ataques e repor transitabilidade em Cabo Delgado não incluídos no Plano de Nyusi ...

O Governo de Filipe Nyusi pretende realizar até Abril “62 acções sectoriais de impacto imediato na vida das populações”. Embora o Executivo tenha-se reunido pela primeira vez na Província de Cabo Delgado o @Verdade apurou que no Plano para os Primei
@Verdade - Últimas

Terminar ataques e repor transitabilidade em Cabo Delgado não incluídos no Plano de Nyusi ...

O Governo de Filipe Nyusi pretende realizar até Abril “62 acções sectoriais de impacto imediato na vida das populações”. Embora o Executivo tenha-se reunido pela primeira vez na Província de Cabo Delgado o @Verdade apurou que no Plano para os Primeiros 100 dias de governação não estão incluídos o término dos ataques armados que duram desde 2017 ou a reposição das pontes que a chuva normal nesta época danificou sitiando vários distritos no Centro e Norte de Moçambique. Treze dias após ser investido Filipe Nyusi aprovou o seu plano de governação para os primeiros 100 dias do 2º mandato como Presidente da República. Trata-se de “um instrumento operacional de ação governativa, transitório, que visa orientar as acções do Governo para as intervenções de maior impacto na vida da população”, disse em conferência de imprensa Helena Khida, a porta-voz da 2ª sessão ordinária do Conselho de Ministros, que teve lugar no passado dia 28. O Plano, analisado pelo @Verdade, tem 19 acções de consolidação do diálogo político e unidade nacional, 15 actividades de provisão de serviços sociais básicos, 18 acções de promoção do emprego e melhoria da produtividade, e ainda 10 de criação de infra-estruturas de suporte ao desenvolvimento”. O maior número de acções foram atribuídas ao Ministério dos Recursos Minerais e Energia (MIREME) e ao Ministério da Justiça e Assuntos Constitucionais. Ficaram com apenas 1 actividade os ministérios da Economia e Finanças, Administração Estatal e Função Pública e da Terra e Ambiente. O @Verdade descortinou que que na maioria são accções que ficaram por realizar em 2019. Ernesto Max Tonela, um dos ministros que ainda não tem vice, ficou com as missões de até Abril expandir as linhas de distribuição de energia em 39 quilómetros de média tensão e 57 quilómetros de baixa tensão entre Cuamba e Marrupa e ainda estabelecer 25 mil novas ligações eléctricas na Província do Niassa. O MIREME deverá ainda construir dois postos de abastecimento de combustíveis líquidos em Chalaua e em Namaponda, na Província de Nampula; terminar a construção da mini-hídrica de Majaua, na Província da Zambézia; dar início a construção da Linha de 400kV entre Caia, na Província de Sofala, e Nacala na Província de Nampula; começar a edificação da Linha de 110kV entre Chibabava, na Província de Sofala, e Vilanculos, na Província de Inhambane; e ainda deverá dar arrancar com a construção da Central Solar de 40MW em Metoro, na Província de Cabo Delgado. Justiça deve lançar Movimento Identidade para todos e auscultar Lei da Liberdade Religiosa Em cerca de 3 meses Helena Khida e Filimão Suazi deverão realizar 15 campanhas de registo de nascimento; criar 6 postos de registo de nascimento; verificar a situação jurídica/penal da população reclusória nos Estabelecimentos Penitenciários; garantir a liberdade condicional para os condenados que tenham cumprido a metade da pena e obedeçam aos requisitos; assegura a alteração da prisão por pena alternativa relativamente ao período correspondente a pena de multa. O Ministério da Justiça, Assuntos Constitucionais e Religiosos ficou ainda com as missões de lançar o Movimento Identidade para todos os Moçambicanos; iniciar a auscultação da proposta da Lei da Liberdade Religiosa; aprovar o regime jurídico de Recuperação de Activos e ainda criar a Central de Garantias Mobiliarias. Defesa e Interior sem metas para acabar com ataques armados em Cabo Delgado ou na Região Centro No terceiro ano de ataques armados por “malfeitores sem rosto” o Executivo de Nyusi continua sem um plano objectivo para acabar com o terror que em 2020 alastrou-se do Norte da Província de Cabo Delgado para o Sul com registo de ataques a apenas 100 quilómetros da Cidade de Pemba. Na semana passada a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), que contabilizou pelo menos 28 ataques desde o início ano, lançou pedido de “apoio urgente e forte” aos doadores para aumentar a resposta à situação que criou mais de 156 mil deslocados, dentre ele 25 mil são crianças, e causou a morte a mais de três centenas de pessoas. No entanto o Plano para os Primeiros 100 dias de governação não coloca metas sobre como acabar com o clima de terror e mitigar o drama dos afectados, aliás o documento a que o @Verdade teve acesso nem sequer faz menção a situação militar na Província de Cabo Delgado ou mesmo no Centro do país. Jaime Neto tem apenas de promover a educação cívico-patriótica através de 125 aulas, 40 palestras, 5 eventos desportivos, 5 eventos culturais, 3 eventos sociais e 3 visitas a locais históricos; recensear 200 mil jovens; e ainda realizar a incorporação extraordinária de recrutas 1.500 recrutas. Por seu turno Miquidade tem 4 tarefas até Abril: assegurar o respeito pela legalidade, garantindo o clima de ordem, segurança e tranquilidade públicas, protecção de fronteiras, costa marítima, recursos naturais e meio ambiente em todo o território nacional com o reforço da ligação polícia comunidade; constituir 617 brigadas móveis para o cadastramento de cidadãos nacionais nas instituições públicas e privadas, igrejas e locais de maior concentração populacional para efeitos de emissão de bilhetes de identidade como forma de garantir o atendimento dos cidadãos nacionais sem a necessidade de deslocar aos Serviços de Identificação Civil. O MINT terá ainda de garantir o controlo do movimento migratório, produzir 10.128 DIREs, 57.982 Passaportes, 10.910 Certificados de Emergência, 2.653 documentos de viagem para Mineiro, emitir 20.840 vistos na fronteira e emitir 1.771 prorrogações de vistos; deverá também realizar 620 piquetes balneares, 165 simulações e 165 palestras para garantir a prevenção de riscos, combate a incêndios, bem como o socorro e salvamento de pessoas e bens em caso de acidentes e calamidades. Apenas 9 quilómetros de estrada nos Primeiros 100 Dias As actividades do Ministério das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos (MOPHRH) até Abril não preveem a reposição da transitabilidade nos troços danificados pela época chuvosa nas províncias de Cabo Delgado, Nampula, Zambézia ou Tete. A única estrada que o MOPHRH tem de fazer durante os Primeiros 100 dias da governação de Filipe Nyusi é na verdade terminar a asfaltagem de 9 quilómetros da Estrada da R482, entre Panda e Homoíne, na Província de Inhambane. João Machatine e a inexperiente Cecília Chamutota vão fundamentalmente dar seguimento ao PRAVIDA acabando de instalar 60 quilómetros de redes de dstribuição de Água nas Cidade e Província de Maputo; concluindo os sistemas de abastecimento de água da Vila Sede do Distrito de Milange, da Vila Sede do Distrito de Mossuril; da Vila Sede do Distrito de Liupo, do Posto Administrativo de Odinepa-Namapa; do Posto Administrativo de Nanhupo Rio e no Posto Administrativo de Mavala. Terão ainda de efectuar o lançamento a primeira pedra da reabilitação e expansão do Sistema de abastecimento de água à Vila de Guruè.

Chuva forte em Gaza, Sofala, Manica e Tete nesta 3ª feira de inundações na Beira, Maputo e Matola

Depois dos mais de 100 milímetros registados nesta segunda-feira (10) em Maputo e Gaza o Instituto Nacional de Meteorologia (INAM) prevê a ocorrência de chuvas fortes (mais de 50 milímetros em 24 horas) localmente muito fortes (50 a 75 milímetros em 24 h
@Verdade - Últimas

Chuva forte em Gaza, Sofala, Manica e Tete nesta 3ª feira de inundações na Beira, Maputo e Matola

Depois dos mais de 100 milímetros registados nesta segunda-feira (10) em Maputo e Gaza o Instituto Nacional de Meteorologia (INAM) prevê a ocorrência de chuvas fortes (mais de 50 milímetros em 24 horas) localmente muito fortes (50 a 75 milímetros em 24 horas), que podem ser acompanhadas de trovoadas e ventos com rajadas nos distritos acima mencionados nas províncias de Gaza (principalmente nos distritos de Massingir, Mabalane, Mapai, Chicualacuala, Chigubo e Massangena); Sofala (nos distritos de Buzi, Dondo, Nhamatanda, Muanza, Cheringoma e Cidade da Beira); Manica (nos distritos de Machaze, Mossurize, Sussudenga, Macate, Gondola, Manica, Vanduzi, Barué, Macossa, Tambara, Guro e cidade de Chimoio); e em Tete (nos distritos de Changara, Cahora Bassa, Magoe, Marara, Doa, Mutarara, Moatize, Chiuta, Tsangano, Macanga, Chifunde Marávia e cidade de Tete). Diante desta previsão a Direcção Nacional de Gestão de Recursos Hídricos prevê, nas próximas 72 horas, a «oscilação dos níveis hidrométricos com tendência a subir nas bacias do Maputo, Umbeluzi, Incomati, Limpopo, Búzi, Púngoè e Zambeze, mantendo-se abaixo do alerta. Igualmente, prevê-se risco moderado de inundações urbanas para a cidade da Beira nos bairros (Ndunda, Vaz, Maraza, Chaimite, Chipangara, Macurrungo, Munhava e Manga Mascarenha) e risco moderado de erosão para as cidades de Xai-Xai e Chimoio. Para as cidades de Maputo e Matola prevê-se a prevalência do cenário de inundações urbanas». Entretanto o INAM prevê nas províncias de Niassa, Cabo Delgado e Nampula céu geralmente muito nublado. Ocorrência de aguaceiros com trovoadas ou chuvas fracas localmente moderadas. Vento de noroeste a nordeste fraco a moderado. Eis as temperaturas previstas: Cidade Tempo Máx ºC Mín ºC Maputo 25 21 Xai-Xai 26 22 Inhambane 32 27 Vilankulo 28 24 Beira 31 24 Chimoio 29 20 Tete 35 24 Quelimane 32 26 Nampula 31 23 Pemba 31 23 Lichinga 29 19  

Província de Maputo: Vitória Diogo prossegue cruzada nas instituições públicas

Vitória Dias Diogo, Secretária de Estado na Província de Maputo, efectuou na última sexta-feira, dia 7, uma visita de trabalho à Direcção Provincial de Economia e Finanças, com o objectivo de conhecer e aferir as metodologias de trabalho deste sector
@Verdade - Últimas

Província de Maputo: Vitória Diogo prossegue cruzada nas instituições públicas

Vitória Dias Diogo, Secretária de Estado na Província de Maputo, efectuou na última sexta-feira, dia 7, uma visita de trabalho à Direcção Provincial de Economia e Finanças, com o objectivo de conhecer e aferir as metodologias de trabalho deste sector no dia-a-dia. Durante o percurso, visitou igualmente a Autoridade Tributária e a APIEX tendo, de forma geral, deixado de entre as várias recomendações a «necessidade de se organizar os processos individuais dos funcionários, bem como o sistema de arquivo dos documentos», advertindo que «paralelamente ao original, o funcionário deve ter a cópia do seu processo individual em seu poder». Chamou ainda a atenção para que, na execução dos actos administrativos, para além dos requisitos previstos na lei, também se deve ter em conta a questão da meritocracia dos funcionários. «Deve haver celeridade no atendimento e prestação de serviços ao cidadão, para além de que todos funcionários, no decurso das suas actividades, devem usar um crachá de identificação». Vitória Diogo instou ainda aos funcionários, incluindo os gestores nas instituições que visitou, para que devam ter planos de actividades, apelando para que sejam criativos no exercício do seu trabalho, de forma a permitir ou possibilitar que mais investimentos e empresários possam ser atraídos para Moçambique, para o desenvolvimento socioeconómico da Província de Maputo.

Instituto Nacional do Petróleo deixa fugir biliões de dólares da Eni e Anadarko

O Instituto Nacional do Petróleo (INP) permitiu que as petrolíferas Eni e Anadarko deduzissem como custos recuperáveis, isentos do pagamento de impostos, quase todos os investimentos que fizeram até 2017, cerca de 9,3 biliões de dólares. Embora o INP te
@Verdade - Últimas

Instituto Nacional do Petróleo deixa fugir biliões de dólares da Eni e Anadarko

O Instituto Nacional do Petróleo (INP) permitiu que as petrolíferas Eni e Anadarko deduzissem como custos recuperáveis, isentos do pagamento de impostos, quase todos os investimentos que fizeram até 2017, cerca de 9,3 biliões de dólares. Embora o INP tenha realizado a primeira certificação dos custos declarados recuperáveis o @Verdade apurou que mais de 7 biliões nunca foram auditados e o Estado terá perdido mais de 1 bilião de dólares norte-americanos em impostos. O Presidente do Conselho de Administração do INP anunciou na passada quinta-feira (06) que a instituição finalizou, enfim, as auditorias aos custos recuperáveis dos Contratos de Concessão para Pesquisa e Produção (CCPP) das Áreas 1 e 4 offshore da Bacia do Rovuma, “Esses valores que fiz referencia referem-se aos exercícios de 2015, 2016 e 2017”, disse a jornalistas Carlos Zacarias. “(...)Informamos que o INP, com o apoio da empresa britânica Bayphase Geologists, Engineers and Investment Analiysts, finalizou o processo de certificação dos custos declarados como recuperáveis nos anos acima mencionados, tendo-se apurado que dos cerca de 2 biliões de dólares norte americanos (1.967.028.366 bilião de dólares norte americanos) declarados pelas concessionárias das duas áreas, cerca de 33 milhões de dólares norte americanos (2%) não foram considerados elegíveis para recuperação. Os motivos para a não elegibilidades destes custos como recuperáveis incluem a não observância dos procedimentos contabilísticos estabelecidos nos CCPP, a não apresentação de documentos comprovativos dos custos incorridos, e outros que constam dos respectivos Relatórios de Auditoria”, pode-se ler num comunicado publicado no sítio da internet da instituição. O documento acrescenta: “Adicionalmente, e no que tange à Área 4 offshore, cerca de 676 milhões de dólares norte americanos dos custos recuperáveis (correspondente a 34% do total dos custos declarados pelas concessionárias da Área 4) foram incorrectamente classificados, contrariando os procedimentos contabilísticos e financeiros do contrato”. No entanto o @Verdade descortinou que enquanto o Instituto Nacional do Petróleo auditou 277,603,692 dólares, considerados recuperáveis pela Anadarko no exercício de 2017, o Tribunal Administrativo(TA) indica que os custos da petrolífera que liderava o consórcio que está a explorar a Área 4 offshore da Bacia do Rovuma foi de 1.325.260.000 de dólares, portanto a instituição dirigida por Carlos Zacarias deixou por Auditar mais de 1 bilião de dólares norte-americanos. QUADRO inp-ta-recuperaveis2018 Instituto Nacional do Petróleo não fez auditorias entre 2007 e 2014 Além disso estas auditorias divulgadas na semana passada referem-se apenas aos exercícios 2015, 2016 e 2017, contudo o TA vem alertando, desde 2017, que não foram auditados nem certificados os custos dos investimentos que foram realizados pela Eni e Andardarko desde 2007. “Os custos de exploração (recuperáveis) da Anadarko e ENI fixavam-se, a 31/12/2014, em 3.942.434,5 mil USD e 2.435.747 mil USD, respectivamente”, apurou o @Verdade no Relatório do TA sobre a Conta Geral do Estado(CGE) de 2014. QUADRO inp-ta-recuperaveis2015 O @Verdade solicitou ao Instituto Nacional do Petróleo as auditorias realizadas às petrolíferas que operam nas Áreas 1 e 4 offshore da Bacia do Rovuma nos exercícios anteriores a 2015. O INP não respondeu. Tendo em conta que o Tribunal Administrativo tem reportado que essas auditorias nunca foram realizadas o @Verdade concluiu que 6,3 biliões de dólares investidos pela Eni e Anadarko foram totalmente recuperados, ao abrigo da legislação moçambicana, sem o pagamento de nenhum tipo de imposto. Aliás uma Auditoria realizada pela Autoridade Tributária de Moçambique à Anadarko Moçambique, Área 1, Lda, sobre os exercícios económicos de 2010, 2011 e 2012, foram apurados custos não fiscalmente reconhecidos, no valor de 57 milhões de dólares, os quais foram acrescidos à matéria colectável. Esses valores, de acordo com o Tribunal Administrativo, tinham sido considerados custos recuperáveis pela petrolífera norte-americana que era concessionária da Área 1 da Bacia do Rovuma, em Cabo Delgado.

2º feira fresca e com chuva em Moçambique

O Instituto Nacional de Meteorologia prevê o seguinte estado do tempo para esta segunda-feira (10) em Moçambique: nas províncias de Niassa, Cabo Delgado e Nampula céu geralmente muito nublado. Ocorrência de aguaceiros ou chuvas fracas localmente moder
@Verdade - Últimas

2º feira fresca e com chuva em Moçambique

O Instituto Nacional de Meteorologia prevê o seguinte estado do tempo para esta segunda-feira (10) em Moçambique: nas províncias de Niassa, Cabo Delgado e Nampula céu geralmente muito nublado. Ocorrência de aguaceiros ou chuvas fracas localmente moderadas a fortes, acompanhado com trovoadas. Vento de nordeste fraco a moderado soprando, por vezes, com rajadas. Para as províncias de Tete, Zambézia, Manica e Sofala céu muito nublado. Ocorrência de aguaceiros ou chuvas fracas localmente moderadas a fortes, acompanhado com trovoadas. Vento de sueste a leste fraco a moderado soprando, por vezes, com rajadas. Nas províncias de Inhambane, Gaza e Maputo céu muito nublado. Ocorrência de aguaceiros ou chuvas moderadas localmente fortes, acompanhado com trovoadas. Vento de leste a sueste fraco a nordeste soprando, por vezes, com rajadas. Eis as temperaturas previstas: Cidade Tempo Máx ºC Mín ºC Maputo 25 22 Xai-Xai 25 23 Inhambane 30 24 Vilankulo 31 25 Beira 30 24 Chimoio 29 20 Tete 29 22 Quelimane 33 25 Nampula 32 24 Pemba 31 24 Lichinga 26 17  

Domingo quente no Sul e Centro, chuva no Norte de Moçambique

O Instituto Nacional de Meteorologia prevê o seguinte estado do tempo para este domingo (09) em Moçambique: nas províncias de Niassa, Cabo Delgado e Nampula céu pouco nublado com períodos de muito nublado. Trovoadas e aguaceiros ou chuvas fracas a mod
@Verdade - Últimas

Domingo quente no Sul e Centro, chuva no Norte de Moçambique

O Instituto Nacional de Meteorologia prevê o seguinte estado do tempo para este domingo (09) em Moçambique: nas províncias de Niassa, Cabo Delgado e Nampula céu pouco nublado com períodos de muito nublado. Trovoadas e aguaceiros ou chuvas fracas a moderadas. Vento de nordeste a leste fraco a moderado soprando, por vezes, com rajadas. Para as províncias de Tete, Zambézia, Manica e Sofala céu pouco nublado localmente muito nublado. Trovoadas e aguaceiros ou chuvas fracas a moderadas. Vento de nordeste a leste fraco a moderado soprando, por vezes, com rajadas. Nas províncias de Inhambane, Gaza e Maputo tempo quente e húmido com o céu pouco nublado passando a muito nublado. Trovoadas e aguaceiros ou chuvas fracas que poderão ocorrer em regime moderado a forte nas províncias de Maputo e Gaza. Vento de noroeste a nordeste rodando para sul fraco a moderado soprando, por vezes, com rajadas. Eis as temperaturas previstas: Cidade Tempo Máx ºC Mín ºC Maputo 35 25 Xai-Xai 35 25 Inhambane 34 27 Vilankulo 33 27 Beira 32 25 Chimoio 27 22 Tete 35 25 Quelimane 34 27 Nampula 33 23 Pemba 33 24 Lichinga 26 17      

Get more results via ClueGoal